Com horário restrito, vítima fica sem atendimento no Imol da Casa da Mulher Brasileira

e prevenção combatendo a violência contra a mulheres”, afirmou.

Cooperação mútua

Durante a cerimônia foi entregue um dossiê com o perfil das mulheres vítimas de violência e onde elas moram. A subsecretária de políticas para mulheres, Carla Stefanini, afirmou que a sala facilitará o inquérito policial.

“A sala vai além da facilidade do acesso ao exame, mas sim das condições para fortalecer a construção do inquérito policial e da consequente ação penal”, pontuou.

Além da ministra, assinaram o termo de cooperação mútua para implementar o Imol na Casa da Mulher de Campo Grande: a prefeita Adriane Lopes, o secretário adjunto de Justiça, Coronel Ari Carlos Barbosa, o coordenador geral de perícias, José de Anchieta Souza e Silva. A subsecretária de políticas para mulheres, Carla Stefanini, o presidente da Câmara de Campo Grande, vereador Carlos Augusto Borges (PSB), a primeira-dama Mônica Riedel.

Nova Casa da Mulher em MS

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, revelou que uma nova Casa da Mulher Brasileira deve ser implementada em Mato Grosso do Sul. Assim, a ideia da pasta é construir 40 novas casas em todo o país.

A informação partiu da ministra durante agenda em Campo Grande. Nesta quinta-feira (30), ela participa de audiência pública na Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) sobre violência contra mulher e feminicídio.

Contudo, ainda não existem detalhes sobre a nova Casa da Mulher. Nesta sexta-feira (31), Cida afirmou a pauta ainda não foi discutida. “Estive com ele [Governador Eduardo Riedel], mas não discutimos sobre isso. Nós vamos estar avaliando as Casas, porque na verdade as Casas necessitam de uma pactuação do Estado, da Prefeitura, Tribunal de Justiça, da Defensoria e do Ministério Público”, explicou.

EldoNews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *