Homens são maioria das vítimas em mortes violentas e acidentes em Mato Grosso do Sul

Em 2023, Mato Grosso do Sul teve 107 vítimas de homicídio doloso, sendo a grande maioria homens adultos. Dados da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) indicam que o perfil também se assemelha em casos de mortes violentas ou em acidentes de trânsito.

Conforme os dados disponibilizados no site da Sejusp, foram 109 vítimas de homicídio no Estado, de 1º de janeiro a 30 de março. Destas, 95 são homens, 12 mulheres e duas vítimas não tiveram o sexo informado.

As vítimas de feminicídio em 2023 são 5. Já nos casos de lesão corporal seguida de morte foram dois registros, ambos homens. Também no crime de latrocínio, as quatro vítimas são homens.

Ainda nas mortes em confronto com policiais, 28 homens foram vítimas, contra uma mulher e uma pessoa que não teve o sexo informado. O perfil não muda muito em casos de acidente de trânsito com morte.

Nesses casos, foram 47 homens que morreram vítimas de acidentes e 28 mulheres. Ainda nas tentativas de homicídio, 194 vítimas são homens, contra 44 mulheres.

Ainda nas mortes a esclarecer, sem indício de crime, também são maioria os homens, num total de 229. Já mulheres são 66.

Idades das vítimas

O sistema da Sejusp também traça o perfil das vítimas dos crimes registrados por idade. As vítimas de homicídio em 2023 são, em maioria, adultos, totalizando 57. Também há 34 jovens, 8 idosos, 5 adolescentes e 3 crianças.

Das lesões seguidas de morte, as vítimas são um homem adulto e um adolescente. Já nas mortes no trânsito, 38 pessoas são vítimas adultas, 15 jovens, 9 idosos e 5 crianças.

As vítimas de latrocínio são dois homens adultos e dois idosos. Enquanto isso, as mortes em confronto policial são 14 jovens, 13 adultos, um idoso e um adolescente.

Na tentativa de homicídio, a maioria das vítimas também são adultas, 121. Também há 61 vítimas jovens, 5 adolescentes, 3 idosos e 2 crianças.

Mortes recentes

No dia 28 de março, Luiz Carlos Sanchini foi encontrado morto em um terreno no Jardim Imá, em Campo Grande. O caso é investigado e pode se tratar de um latrocínio.

A vítima estava apenas de cueca, com os pés amarrados. Inicialmente foi feito registro do caso como homicídio, pela constatação da morte violenta.

Outro caso de repercussão, em 8 de março, foi a morte de Danilo de Jesus Santos, de 29 anos. Ele foi assassinado na saída de uma boate, por um rapaz conhecido como ‘Maranhão’.

O acusado está preso e foi denunciado por homicídio triplamente qualificado. Dias antes, em 5 de março, Renan de Carmo, de 23 anos, foi executado no Jardim das Macaúbas.

O jovem foi morto com 16 tiros e deixou esposa, que está grávida. Dois homens em uma motocicleta teriam feito os disparos contra a vítima e o caso está em investigação como homicídio doloso.

Na mesma noite, Victor Mergareno, de 18 anos, foi assassinado também por dois homens em uma moto preta. Ele foi assassinado a tiros na Nhanhá.

EldoNews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *